O que você precisa saber sobre o Bullying para que o seu filho não tenha problemas na escola

O que você precisa saber sobre o Bullying para que o seu filho não tenha problemas na escola

Estudos realizados pela ONU comprovam que metade das crianças e jovens do mundo já sofreram Bullying e que no Brasil 43% dos jovens já passaram por alguma situação do tipo. Esses casos podem acontecer em qualquer lugar, então é sempre importante notar as pessoas a sua volta. O Bullying consiste na prática de atos violentos, intencionais e repetidos, contra uma pessoa indefesa, que podem causar danos físicos e psicológicos às vítimas. Há pouco tempo o bullying era considerado apenas como uma forma de brincadeira inofensiva, mas após estudos comportamentais, a comunidade acadêmica mundial passou a encarar o problema com a verdadeira dimensão que ele tem.

Infelizmente o bullying acontece com frequência em escolas, entre os estudantes e pode causar danos irreparáveis nos alunos e seus familiares. Agora que você já sabe no que consiste o problema, nós do Colégio Nobre vamos listar algumas informações que permitirão que você identifique sinais para que, dessa forma, evite que ele aconteça com o seu filho ou familiar.

1 – Ouça o seu filho
Através da escuta rotineira você pode identificar problemas. Uma boa oportunidade para conversar é durante as refeições. Faça perguntas, indague sobre os afazeres, as dificuldades mas, o mais importante, escute e acolha o seu filho com sensibilidade.

2 – Fique atento a mudanças de comportamento
Observe se o seu filho evita conversar em casa, se fecha para determinados assuntos, fica apático em relação a alguma situação, se torna agressivo ou quieto demais, apresenta queda no rendimento escolar resistência dos filhos ao ambiente escolar. Essas mudanças podem siginificar que a criança ou adolescente sofre bullying.

3 – Conheça os perfis típicos do bullying
As crianças mais tímidas, retraídas, introspectivas ou com baixa autoestima podem correr risco maior de sofrerem intimidação sistemática por parte dos colegas. Já os agressores costumam estar envolvidos em confusões, desentendimentos, têm problemas com regras e com lidar com frustrações e exercem liderança negativa.

4 – Bullying não é só agressão física
De acordo com a Lei 13.185/2015, o bullying pode ser classificado de variadas formas:
I – verbal: insultar, xingar e apelidar pejorativamente;

II – moral: difamar, caluniar, disseminar rumores;

III – sexual: assediar, induzir e/ou abusar;

IV – social: ignorar, isolar e excluir;

V – psicológica: perseguir, amedrontar, aterrorizar, intimidar, dominar, manipular, chantagear e infernizar;

VI – físico: socar, chutar, bater;

VII – material: furtar, roubar, destruir pertences de outrem;

VIII – virtual: depreciar, enviar mensagens intrusivas da intimidade, enviar ou adulterar fotos e dados pessoais que resultem em sofrimento ou com o intuito de criar meios de constrangimento psicológico e social.

Fique atento ao comportamento do seu filho e também dos colegas dele. A nossa equipe pedagógica é capacitada e apta para atuar diante das mais variadas situações. Ao identificar alguma das formas listadas neste texto, por mais que pareça inofensiva, procure a direção da escola ou o esquadrão Anti-Bullying. É nosso dever combater o bullying todos os dias e, para tal, contamos com o seu apoio.